O que você pode fazer para aumentar as chances de ser consultado sobre uma nova oportunidade

By Leonardo de Souza

Originalmente publicado no itforum

São muitas as razões que podem justificar o desejo por uma mudança profissional. Quando se trata de profissionais mais seniores, porém, as justificativas mais comumente expostas pelos executivos são o interesse por viver algo desafiador e a possibilidade de experimentar um ambiente novo.

Outros dois fatores comuns são a sensação de desalinhamento entre sua visão e a visão “da empresa” e o desejo de ascender a uma posição hierarquicamente superior, esta última acompanhada da leitura de que não há espaço em sua empresa atual ou há falta reconhecimento.

Obter uma remuneração melhor é raramente apontada como o principal fator de motivação para uma mudança profissional, porém, são raras as ocasiões nas quais um executivo aceita uma proposta, ainda a nova posição atenda seus fatores de motivação, por um pacote de remuneração numericamente inferior.

Seja qual for a razão, decisão tomada, há dois caminhos que podem ser seguidos:

  1. Não fazer nada e esperar que, quem sabe um dia, uma nova oportunidade lhe seja apresentada
  2. Se movimentar para aumentar as chances de se deparar com uma nova e interessante cadeira

Antes de detalhar algumas “boas práticas”, se sua opção for a opção 2, é importante observar que um processo de seleção varia bastante de acordo com o nível de senioridade do profissional e as sugestões abaixo são mais adequadas à profissionais que ocupam posições de média e alta gerência.

Limite sua preocupação com a redação/formatação de seu currículo

O CV precisa ser claro, pronto. Além de informações padrão, como formação acadêmica, proficiência em línguas, local de moradia, informações de contato, o documento precisa trazer a informação sobre quais empresas você trabalhou (é interessante que haja uma ou duas linhas descrevendo a empresa, seu o negócio, seu o porte, sua a origem), sobre as posições que você assumiu e sobre quais eram suas responsabilidades e realizações em cada uma destas passagens.

Não é necessário contratar um “ghost writer’ para redigi-lo e nem um designer para formatá-lo. Duas páginas com uma formatação limpa e sem erros de português ou inglês. Sim, tenha sempre duas versões atualizadas, uma em português e uma em inglês. O processo de seleção não terminará na avaliação do currículo e você terá a oportunidade de detalhar suas experiências posteriormente.

Deixe pessoas de seu círculo de confiança saber que você teria interesse em uma movimentação

Esta ação é sensível mas importante. Se ninguém souber que você está interessado em mudar, reduzem-se as chances de você ser consultado para uma nova posição. É possível compartilhar com elegância e discrição seu desejo por uma mudança. Lembre-se que seu interlocutor será provavelmente também um profissional como você e entenderá perfeitamente suas razões.

Procure se aproximar das empresas de seleção de executivos

Uma parte representativa das posições “abertas” em determinado momento estão sob a responsabilidade das empresas de seleção, principalmente as posições mais importantes. A existência das empresas de seleção se justifica pela perspectiva de poderem conduzir os processos de seleção com mais qualidade, pelo fato de terem facilidade de acesso aos executivos, de poderem realizar as interações com os profissionais mantendo a confidencialidade, de terem o know how para avaliar adequadamente os candidatos em aspectos técnicos e pessoais e de contribuirem para que as negociações terminem no acordo entre as partes.

Vamos lembrar que as consultorias de seleção de executivos são empresas B2B, ou seja, seus clientes são sempre as outras empresas, as empresas que precisam contratar o profissional.

Assim, a prioridade dos headhunters será sempre conhecer executivos que potencialmente tenham o perfil para uma posição que “esteja sendo trabalhada” naquele momento pela consultoria.

No entanto, uma prática comum dos headhunters é proativamente conhecer executivos cujas experiencias pareçam sólidas, projetando a possibilidade de, em algum momento futuro, a consultoria ser contratada para a seleção de profissional com aquele perfil.

Então como, na prática, se aproximar das empresas de seleção de executivos?

Primeiro, procure entender quais são as principais consultorias de seleção estão posicionadas de acordo com seu perfil. Se você é um executivo sênior, não adianta se aproximar de uma empresa que atua na seleção para posições entry level. E vice-versa.

Para as consultorias adequadas, verifique se é possível compartilhar suas informações profissionais pelo site da empresa. Todas as empresas de seleção usam banco de dados e sistemas de CRM que não utilizados pelos headhunters.

Através das mídias sociais atuais é possível saber quem são os headhunters. Peça conexão e envie uma mensagem.

Importante: não espere que o retorno aconteça imediatamente. O headhunter tende a ter uma dinâmica de trabalho intensa e nem sempre ele/ela poderá realizar uma conversa proativa. Não se frustre com uma eventual falta de retorno.

Mas se por acaso você tiver a experiencia alinhada à uma seleção sobre a qual o headhunter está trabalhando, sua mensagem será muito bem-vinda.

São diversos os critérios considerados para julgar se um profissional é adequado para assumir uma determinada posição. Por isso, no geral, a transição para uma outra empresa é um processo que toma algum tempo e envolve a participação em processos de seleção nos quais você não será o escolhido. É assim mesmo.

Mas se você está convicto de que deve mudar, vá em frente e não se sinta mal por isso. Esta é a dinâmica do mercado de trabalho e são através destas movimentações que as pessoas e as empresas se oxigenam e evoluem.

This website uses cookies to ensure you get the best experience on our website.  Learn more